STUDIA CARMELITA

Revista de Estudos Históricos e Património Cultural da OCD

A Studia Carmelita – Revista de Estudos Históricos e Património Cultural da Ordem dos Carmelitas Descalços é uma Revista Científica, publicada pela Comissão de Estudos Históricos e Património Cultural da Província Portuguesa da Ordem dos Carmelitas Descalços (CEHPC-OCD), e tem por âmbito a História e o Património da Ordem em Portugal e no Mundo Lusófono, e a sua relação com outras realidades históricas e geográficas.

Com periodicidade anual, a Studia Carmelita recebe textos para publicação de acordo com os termos de chamada pública. Os números da Revista poderão ser temáticos (altura que serão privilegiados os textos relacionados com o tema proposto), mas recebendo-se para avaliação qualquer texto que se enquadre no âmbito da revista. Atendendo aos temas das revistas poderá o Conselho Editorial solicitar artigos para publicação.

A Studia Carmelita é uma revista com arbitragem, a cargo de uma Comissão Científica formada por especialistas nacionais e estrangeiros, reconhecidos pela competência nas áreas temáticas abrangidas pela publicação.

Todos os textos, submetidos ou solicitados, serão anonimamente remetidos a dois especialistas para emissão de parecer, a que se aterá o Conselho Editorial para a decisão de publicação ou para propor alterações/reformulações sugeridas pelos mesmos.

A Studia Carmelita estrutura-se em quatro secções:

  1. Estudos – textos resultantes de pesquisa inédita. Limite máximo: 100 mil caracteres.
  2. Fontes – Publicação de fontes documentais, acompanhadas de texto de enquadramento. Limite máximo: 50 mil caracteres.
  3. Recensões – Limite máximo: 15 mil caracteres.
  4. Vária – Secção aberta a notas de pesquisa ou outros textos pertinentes que não se enquadrem nos pontos anteriores. Limite máximo: 15 mil caracteres.

 

Serão aceites para publicação textos em português, inglês, espanhol e italiano.

Os textos devem:

  • ser acompanhados por resumo breve (até 1000 caracteres) na língua em que são redigidos e em inglês.
  • entregues em formato digital, em ficheiro word ou compatível, através do email da Revista (studiacarmelita@carmelitas.pt).
  • incluir no ficheiro uma página com título do artigo, nome e curto esboço biográfico do autor, instituição académica e/ou profissional a que está associado, contacto electrónico e telefónico.
  • ser formatados com o tipo de letra Garamond – tamanho 12, espaçamento entre linhas 1,5 e justificado.

 

Normas de Publicação

Os textos apresentados para publicação na Studia Carmelita têm de respeitar as seguintes normas de publicação:

  • Ortografia

Os conteúdos da Studia Carmelita são redigidos segundo a nova ortografia, excepto nos casos em que os autores optem pelo uso do antigo acordo, devendo indicar no início do texto o acordo que segue.

  • Notas e citações

As notas ao texto serão integradas no final de cada página e devem ser reduzidas ao essencial.

As referências bibliográficas serão incluídas no corpo do texto, de acordo com o sistema (Autor, data: p.), com correspondência na bibliografia final do artigo. Ex.: (SANTA ANA, 1657: 66)

  • Bibliografia

As referências bibliográficas devem adoptar a seguinte norma geral:

Livro: APELIDO, Nome (ano) – Título. Local: Editor, Ano.
Ex.

 

SANTA ANA O.C.D., Belchior de (1657), – Chronica de Carmelitas Descalços, Particular do Reyno de Portugal, e Provincia de Sam Filippe, Tomo I. Lisboa: Officina de Henrique Valente de Oliveira.

 

CORAÇÃO DE JESUS O.C.D., Pe. David do (1962) – A Reforma Teresiana em Portugal. Lisboa: [s.n.].

Capítulo de livro: APELIDO, Nome (ano) – “Título do capítulo”. In APELIDO, Nome (Coord.) – Título do livro. Local: Editora, p.
Ex. VEIGA, Carlos Margaça (2010) – “Carmelitas Descalços”. In FRANCO, José Eduardo (Dir.), Dicionário Histórico das Ordens, Institutos Religiosos e outras formas de Vida Consagrada Católica em Portugal, 1.ª ed. [Lisboa]: Gradiva Publicações S. A., pp. 83-100.
Artigo de revista: APELIDO, Nome (ano) – “Título do artigo”. Título da revista. Local: Editor. Nº / Vol. (datas), p.
Ex. PORTELA, Miguel (2018) – “Uma Arquitectura para a Oração: os claustros dos conventos dos Camelitas Descalços em Portugal”. Revista de Espiritualidade. Marco de Canavezes: Edições Carmelo. Nº 101 (Jan. 2018 – Mar. 2018), pp. 47-74.
Teses: APELIDO, Nome (ano) – Título [texto policopiado]. Local: [s.n.]. Dissertação de Mestrado / Tese de Doutoramento em [área científica] apresentada à [instituição de ensino].
Ex. LUCAS, Margarida Herdade (2012) – O Convento de Nª Sª do Carmo de Figueiró dos Vinhos no contexto da Província Portuguesa de S. Filipe de Portugal [texto policopiado]. Coimbra: [s.n.]. Dissertação de Mestrado em História da Arte, Património e Turismo Cultural, na área de especialização em História da Arte – apresentada ao Departamento de História da Arte da  Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

 

Fontes manuscritas: A primeira vez o nome da instituição deve seguir por inteiro

seguido das siglas, sendo posteriormente apenas referenciado pelas siglas.

Ex. Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), Ordem dos Carmelitas Descalços, Convento de Nossa Senhora do Carmo do Porto, Liv. 8, fl. 48.

Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), Livro dos Capitulos Provinciais de Carmelitas Descalços da Provincia de S. Philippe de Portugal. Desde o Anno de 1612 (mss.), Cod. 8939, fls. 35-38.

 

Referências electrónicas: O uso de referências electrónicas destina-se em exclusivo a publicações periódicas digitais e/ou outras similares que não possuem versão impressa. Mesmo que um capítulo ou artigo se encontre disponibilizado on-line, o autor/preponente, deverá recorrer ao original impresso para citação.

Ex. APELIDO, Nome – “Título do artigo”. Endereço do site (ano.mês.dia).

Para esclarecimento de eventuais dúvidas, será adoptada a NP 405, disponível em: www.ipq.pt > Pesquisa detalhada > Catálogo de normas > Tipo NP > Número 405

  • Imagens

Todas as imagens consideradas necessárias para ilustrar o artigo devem ser enviadas pelo autor. Independentemente de virem a ser publicadas. A selecção final das imagens a publicar é assegurada pelo conselho editorial.

Formato: Todas as imagens dos artigos aceites para publicação devem ser entregues em suporte digital e em ficheiros separados (e nunca inseridas no corpo do texto), em formato JPEG ou TIFF, com uma resolução mínima de 300 dpis.
Localização: Todas as imagens devem ser referenciadas no texto entre parêntesis rectos, a bold e com a indicação Fig. [Fig. 1]. Esta indicação destina-se à colocação (aproximada) da imagem, sendo eliminada no artigo editado.
Legendas: Utilizando a numeração empregue no corpo do texto, deve ser elaborada uma listagem de todas as imagens propostas (remetida em ficheiro separado), seguida da respectiva legenda:

Autor, Título/Descrição, data, localização, n.º inv. Autor da foto.

Ex. Bento Coelho, Cristo com a Cruz às costas, c. 1690, Capela das Albertas (Museu Nacional de Arte Antiga), Lisboa, Inv.º 1203. Foto: PH3 – Fotografia e Audiovisuais, Lda.
Copyright: Os autores devem obter as autorizações necessárias para a utilização de fotografias ou outros materiais sujeitos a copyright.